21 de agosto de 2020 Felipe

As tábuas e onde eu aprendo na internet

Outro dia, o Conrado Schlochauer compilou a lista das 10 ferramentas que ele mais usa para aprender. Fez parte da pesquisa anual da Jane Hart sobre as ferramentas mais utilizadas para isso. A seleção do conrado é super interessante e eu compartilho várias das ferramentas, especialmente o Google, Twitter, Kindle e Whatsapp.

(E antes do tema desse post, um pequeno caso sobre o Whatsapp. Estou na reta final de uma consultoria e ontem, uma pergunta do outro consultor sobre um fluxo virou uma discussão riquíssima sobre processos, metodologia e abordagem entre nós dois e o cliente. A gente aprende MUITO ali, sem dúvidas.)

Voltando ao caso, se não estou enganado, essas são as minhas tábuas 10 até 15. Elas foram feitas com diversas madeiras que outrora foram móveis e pisos da casa do meu tio: peroba, ipê, algumas chapas de pinus que comprei.


Junto com a orientação do meu tio, colocar a mão na massa, a tentativa e o erro e as experiências anteriores, usei outras três tecnologias que uso para aprender: instagram, youtube e reddit.

(Há três anos, falei que os dois últimos eram locais “improváveis” para aprender algo. Admito que foi um título caça-cliques. A gente aprende horrores ali).

No caso dessas tábuas, o instagram foi fundamental para a parte criativa do processo. Quando educamos o algoritmo, o resultado é ótimo. Comecei a seguir perfis de marceneiros e pessoas que fazem tábuas e além dessas referências, chequei alguns vídeos sobre “como fazer”. Dentro do meu processo de aprendizado, tenho percebido como estou mais tolerante ao IGTV, mesmo com seus problemas de navegação e na telinha pequena do telefone.

Por isso, pra outras referências sobre construção e informações mais detalhadas, acabo recorrendo ao youtube. Além de checar meus makers favoritos, Jimmy diResta, Bob Clagett, Chris Salomone, busquei vídeos para resolver algumas dúvidas sobre a primeira camada de óleo mineral, o quanto devo lixar e qual lixa usar, e como fazer detalhes e acabamento usando uma tupia.

No Reddit, dentro de uma thread dedicada às tábuas de carne, achei a receita para fazer a mistura de cera de abelha e óleo mineral que usei para finalizar o trabalho. Aliás, essa pasta pode ser utilizada em qualquer utensílio de madeira que você usa na cozinha. Basta derreter uma parte da cera para três de óleo e esperar esfriar. Fiz isso em banho-maria. 🙂

Falando das tábuas, é certo que existem centenas de oportunidades para melhoria e o próximo lote sairá melhor do que esse. E sobre as ferramentas, é muito interessante entender e aprender as coisas com pessoas interessadas feito nós. Algumas das referências eram profissionais, gente que vive de fazer tábua pra viver. Porém muitas delas vieram de gente feito eu, alguém curioso, não necessariamente especialista no tema, mas que busca os caminhos do processo de aprendizagem.

 

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.