15 de abril de 2010 Felipe

O mundo está egoísta

O mundo está egoísta. “Mas você só descobriu isso hoje?”, irão perguntar. Não, não descobri. Mas a impressão que tenho é de que os egoístas estão ganhando. Pra variar, o trânsito é o lugar mais fácil para se perceber isso. Eu já falei disso no ano passado e continua atual, mas temos outras histórias. E é curioso perceber como a grosseria vem no mesmo pacote. Em pleno 2010, uma parte das pessoas acha que vive sozinha no mundo, no melhor estilo “Eu Sou a Lenda”, mas sem precisar de sair pra caçar ou fugir de zumbis. Querem três pequenos exemplos?

1) Ontem quase fui atropelado por um sujeito que queria parar em um local proibido. E o mal educado ainda me mandou tomar no rabo. Eu poderia ter mantido a calma, mas acabei baixando o nível também. Pensar que a alteracação começou porque sinalizei que ali não rolava de parar.

2) O futebol que minha irmã joga às quartas, foi interrompido nas duas últimas semanas porque algum vizinho da quadra resolveu jogar ovos nas garotas. Ninguém sabe a razão, mas parece que o infeliz não está feliz com o barulho.

[singlepic id=50 w=160 h=120 float=left] 3) O síndico do prédio aqui da agência “criou” uma entrada de garagem no meio do passeio (foto ao lado), para facilitar a vida dos que fazem uma barbeiragem para entrar na garagem e evitar 200 metros de trânsito. Quando um sujeito parou ali, um dos moradores esbravejou que cortaria os pneus de quem fizesse o mesmo.

E não foi por falta de tentativa, mas nem uma boa conversa resolveu os três problemas. Talvez, infelizmente, esse não seja o caminho. Também não consegui pensar uma boa solução para acabar com a grosseria e o egoísmo. Será que é possível fazer um Não Sei Estacionar para educar esse tipo de gente? Ou as pessoas de bem vão perder mais essa?

, ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (2)

  1. Fazer uma milícia poderia resolver esses problemas. Quem não respeita pedestre seria atropelado, e todos os que estacionam em vagas de deficiente sem o ser teriam suas vértebras C2 dilaceradas. Aos poucos o Brasil iria se tornar um lugar de dar orgulho de se morar. Imagina que legal, a cada cidade que for “resolvida”, todo mundo passa a usar um selo no carro e espalhado pelos lugares, escrito “Gérson-Free Zone”. hahahahahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *