26 de setembro de 2019 Felipe

From Russia with love – Parte 3 – Kazan

A mesquita de Kul Sharif dentro do Kremlin de Kazan.

Eu fico impressionado como a gente tem uma visão limitada da história. Antes da viagem fiz uma pesquisa porca sobre Kazan, só pra definir além de “a cidade onde o Brasil foi eliminado pela Bélgica”. Eu ia ficar 15 dias por lá, não queria parecer um completo idiota, mas não adiantou muito. Precisei chegar lá para saber mais.

Cheguei no começo da tarde do dia 15 de agosto, e como estava dispensado do trabalho, aproveitei para dar uma volta nos arredores do hotel. Ele ficava na área central, com uma saída pra Baumann, uma rua fechada para carros e super próximo do Kremlin de Kazan. Estar no centro da cidade faz uma diferença incrível no seu convívio com a cidade e com as pessoas.

Rua Baumann, em Kazan.

Centro de Kazan

Pois bem, o reconhecimento também tinha como objetivo achar o box de crossfit que, em tese, era próximo do hotel. Falhei nessa busca, porque o box já não ficava mais lá. Pelo menos, tive o primeiro contato com o Kremlin e a maravilhosa mesquita de Kul Sharif. Além da mesquita, a torre Söyembikä e a Catedral da Anunciação ficam dentro do Kremlin, que também é a sede do governo local. Nos dias seguintes, passei por lá mais umas três vezes.

A mesquita de Kul Sharif dentro do Kremlin de Kazan.

A Catedral da Anunciação

Uma dessas vezes foi durante a excursão dos Competidores. Nosso guia e sua voz de trovão gritando “number 44“, o número do nosso ônibus, conseguiu matar um pouco da minha ignorância. Descobri que Kazan, a capital da República do Tartastão, foi anexada à Rússia por Ivan, o “Terrível”, em 1552. Era o fim da guerra de mais de cem anos entre o Canato de Kazan e os Moscovitas. A catedral de São Basílio, em Moscou, foi erguida para celebrar esse feito.

Todos atentos ao guia e sua voz de trovão.

(Nota: também descobri que “Terrível” não é a alcunha correta para o Ivan. Quem nos contou isso foi Carolina, a attaché que salvou nossa vida durante a excursão. Se ela não tivesse conosco quando chegamos na Vila dos competidores, o ponto de encontro, possivelmente estaríamos morando lá até hoje.

Bem rapidamente, ela nos disse que a alcunha mais apropriada seria “aterrorizador”. Ivan era temido na época, mas ficou doido no final da sua vida e matou os filhos. Seu legado ficou manchado.)

Enfim, Kazan tem 1,5 milhão de habitantes, fala-se tártaro e é 50% muçulmana e 50% cristã-ortodoxa. É um dos raros exemplos de interação entre religiões e vemos mesquitas e igrejas espalhadas por toda a cidade. Além disso, é a sede do ministério da agricultura da Rússia, uma forma do governo russo dar importância e também garantir sua influência na região.

É uma cidade que tem mais de mil anos, passou uma série de conflitos, fica às margens do Rio Volga, um dos mais importantes da Rússia. Pra mim, que nasceu numa cidade de apenas 121 anos, toda essa quantidade de história é meio absurda. É preciso um tempo para entender e processar tudo.

Detalhe do centro antigo de Kazan.

Ministério da Agricultura em Kazan.

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.