8 de junho de 2012 Felipe

Bertioga-Maresias 2012, a resenha

Então finalmente fiz minha estreia em provas de corrida. E não poderia ter sido melhor. Bertioga-Maresias é uma prova muito gostosa de se correr.

Nosso desempenho não foi nada fora do que esperávamos. Ninguém estava no auge do treinamento nem da forma física e isso foi refletido na colocação geral. Terminamos em 31º dentro da nossa categoria, com o tempo de 8:00:12. Nosso objetivo era terminar abaixo das oito horas, mas ok.

Fiz meus dois trechos em um tempo razoável. O primeiro foi o trecho 2. 5,6km na areia dura, com um canalzinho. Fiz em 30m27s. E fiz os 6,2 km do trecho 4 em 33m54s, também na areia dura. Descobri que o esquema é não ser ansioso. Corri quase que totalmente na praia, onde não tinha nenhuma referência. Simplesmente coloquei um ritmo e fui nele até o final, curtindo um visual absurdamente maravilhoso.

Como não conhecia nada da prova, tampouco do litoral paulista, fiquei de queixo caído. As praias são muito bonitas, embora o tempo estivesse nublado. Ainda assim, corri apreciando a vista, totalmente diferente do que vejo no dia a dia. Sem dúvidas, correr na praia é bem mais legal do que correr no Parque do Ibirapuera.

Outra ponto que é bem bacana é o clima da prova. Aqui cabe uma ressalva. Quem trabalha com eventos corporativos deveria abandonar de vez a ideia de que os péssimos exemplos de Tropa de Elite são os “corretos” para e focar nas corridas de revezamento. Além de todos os benefícios do esporte, fazer uma corrida longa como Bertioga-Maresias mostra que o importante é trabalhar junto. Querem um exemplo? No meio do segundo trecho, o sol apareceu de maneira impiedosa. Tive certeza que ia “quebrar” e pensei em parar um pouco ou começar a andar. No mesmo instante, comecei a pensar no resto do sexteto. Acalmei, diminui um pouquinho o ritmo e segui em frente. É muito mais importante chegar bem, passar o chip para o companheiro e dar o apoio para a equipe do que correr feito um maluco ou achar que estamos competindo com o cara que está do seu lado. Além disso, nos Pontos de Controle, o clima é ótimo. Corredores e equipes de apoio se confraternizando, alguns familiares presentes, pessoas que estão curtindo a praia motivando os que passam.

No final, dane-se a posição de chegada. Bom mesmo é ficar orgulhoso por ter vencido os 75 km da prova em uma equipe cheia de gente boa.

Meu batismo foi o melhor de todos!

Nova Equipe - Bertioga Maresias

Eu, Diego, Dario, Zero, Marcos e Escoqui, no fim da prova. Foto: Philippe Ferrari

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *