4 de abril de 2012 Felipe

Orkutizem meu blog

Alguns donos de iPhone ficaram ofendidos quando o Instagram, aquele popular aplicativo de fotos, lançou sua versão para Android. Agora o aplicativo deixou de ser exclusivo para o seleto clube de telefones do Steve Jobs e os pitizentos começaram a bradar que “orkutizaram o Instagram”. Mesmo grupo que ficou ofendido quando a classe C invadiu o orkut, popularizando a rede social. E vem daí o termo com alto grau de preconceito. Bando de babacas.

Nesse pensamento, Harvard acaba de ser orkutizada, segundo o glorioso Primo, já que uma menina da periferia daqui de São Paulo foi aceita lá. Que horror, logo em uma das escolas mais tops do mundo? Legal demais, né?

Esse preâmbulo de dois parágrafos para dizer o seguinte: Se “orkutizar” significa popularizar, então deixo o pedido encarecido aos meus 88 leitores diários: “orkutizem” meu blog. Não vou me importar se meus acessos duplicarem nos próximos meses ou se meus posts forem inundados por comentários. Podem escrever bobagem, podem fazer o que quiser, mas pelo amor de Deus, orkutizem esse espaço. Diferente dos afetados, não vou me importar nem um pouco, pelo contrário. 🙂

A sociedade agradece!

, , , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (5)

  1. Aparecida

    Sou fã da inteligência e ousadia do Steve Jobs, mas minha admiração sempre fica arranhada com as políticas de exclusividade que ele imprimiu à Apple. Depois de ler sua biografia entendi melhor o contexto em que ela nasceu, cresceu e se impôs. Mas, em muitas conversas, o questionamento deste tema me arranha.
    A palestra que me apresentou o FaceBook retardou meu ingresso por um tempo exatamente em função do argumento de popularização do Orkut. Achei besta demais mudar de rede social para limitar minha rede social aos meus “iguais”. Não era exatamente o contrário?
    O mesmo tenho ouvido com relação aos aeroportos, praia, shoppings e outros lugares supostamente para todos, mas que a chegada de mais um pouco de todos tem incomodado a minoria elitista brasileira, que se julga “todo mundo” que basta.
    Seu excelente post me lembrou um episódio com minha sobrinha neta, Clara, quando tinha uns 3/4 anos. Depois de receber repetidas negativas para repetir um doce com o argumento de que era para todo mundo, ela pensou um pouco e mandou: ” mas quem é todo mundo?”
    Penso que todo mundo deve ter acesso ao que é bom, sempre.
    Por isso farei campanha pela orkutização do seu blog!

  2. Bem, existem os que utilizam o termo “orkutização” de maneira elitista, mas existem também os que o utilizam para classificar o uso indevido, do ponto de vista de conteúdo.

    Eu acho chato entrar no Orkut ou Facebook e me deparar com terabytes de piadas, imagens montadas, mensagens de feliz páscoa e etc, o spam das redes sociais.

    Acho que o Facebook tem como principal diferenciação melhores ferramentas de filtro de conteúdo, e por isso tem a minha preferência.

    Dito isso, concordo integralmente contigo na questão elitista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *