7 de março de 2012 Felipe

Companheiros de viagem – O consultor

Mais um da série “Companheiros de Viagem”.

O Consultor | Crédito: Gabriel AlbuquerqueConsultor é a profissão do momento no Brasil. Acredito que cerca de 80% dos frequentadores de aeroportos têm a consultoria como ganha-pão, não importando muito qual seja a especialidade. Negócios, Gestão, Recursos Humanos, Inovação, Amor, Espírito, acho que tem consultor pra tudo no mundo. A grande maioria carrega algum livro de gestão, RH ou auto ajuda sob o braço e alguns tentam empunhar iPads com grande destreza, mas falham.

Enfim, os consultores são os melhores amigos dos executivos. Gostam das mesmas coisas, discutem os mesmos problemas do país e reclamam das mesmas coisas. No entanto, o primeiro sempre vai querer vender o seu peixe para o segundo. Sabe como é, uma consultoria não faz mal nenhum.

Você, viajante, deve ficar precavido quando sentar ao lado de um deles. Pode sobrar pra você, pelo menos pra dar um pitaco. Por isso, o kit misantropia deve estar sempre pronto: Livro, fones de ouvido e um PSP. Digo isso porque uma vez viajei ao lado de um executivo e um consultor. Eu estava sem livro e sem fones de ouvido. Juro que tentei me sufocar com o pacote de amendoins.

Por falar em comida, existe um tipo bem específico que adora (e odeia falar mal) de comida. Fica pra próxima.

, , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (3)

  1. Paula

    Mas você ficou no meu dos dois? Caramba… Aí é sacanagem mesmo. O que me incomoda nos dois é o VVT: vocabulário de valorização do trabalho… Morro de preguiça!

  2. Vale acrescentar ao “kit misantropia” um travesseiro de pescoço e uma máscara de dormir. Ah, e de preferência entrar no transporte antes de todo o mundo, sentar na janela e dormir antes mesmo que tenham chance de lhe dizer alguma coisa…

  3. O Consultor é o pior disparado!!!
    Já tive um desse do meu lado.
    Eu, de férias, há quatro dias sem nenhum compromisso oficial e às portas de chegar a um lugar no interior da Bahia que eu era louco para conhecer e o sujeito falando do perfil dos empreendedores…
    Eu preocupado em achar algum lugar que vendesse repelente de inseto e ele analisando o serviço de aeroportos do ponto de vista da gestão.
    Fracassadas as tentativas de abortar a conversa me rendi: direcionei o papo para futebol e terminamos a viagem (BH-SP) falando do gol olímpico do Petkhovic no Galo aqui dentro do Mineirão. E olha que ele era cruzeirense…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *