13 de novembro de 2011 Felipe

Ranzinzice Aeroportuária

Escrevi esse post no meu fiel caderninho de anotações, durante minha última ida à Belo Horizonte.

Aeroporto de Congonhas - Por eu mesmo

Aí você chega no aeroporto e é aquela zona característica. Zilhões de pessoas com tablets e notebooks, despachando freneticamente. Engenheiros e consultores deliberando sobre como o Brasil vai mal e a corrupção é um problema e, puta merda, se os políticos pedissem menos dinheiro, talvez tudo seria melhor. Só que então um cara fura a fila do embarque, porque sua poltrona é a 7B e estão chamando os passageiros do fundo do avião. Esquecemos dos corruptores. O que nos faz pensar que talvez a culpa não seja somente dos políticos.

Corta pra dentro do avião. “Barrinha e amendoim de novo”, é a reclamação padrão em voos da Gol. A Gol popularizou o avião, quer você goste ou não. O problema é que as outras foram atrás e aproveitaram para esculhambar o serviço de bordo. Na minha opinião, tudo bem, estou pagando pra voar barato. A combinação de Amendoim e com Pepsi não é o fim do mundo. Ficaria puto se me servissem isso em uma eventual classe executiva.

Agora, iria achar o máximo se realmente popularizassem o serviço. “Senhoras e senhores, nesta etapa do voo, serviremos espetinhos de boi, porco e queijo, acompanhados de cerveja Brahma de garrafa e Coca-Cola”. Aí sim, meus amigos, popular de verdade!

O Fato é: As pessoas reclamam demais e nunca estão felizes. Já cansei de ouvir “Quero ver na Copa” ou preconceitos diversos por conta de mimimi. Se a Tam ou a Gol oferecessem um serviço super-premium em um voo, iriam reclamar do absurdo que é a passagem. Se fosse um serviço oferecido aos passageiros mais frequentes, seria elitista. Quer dizer, surge uma camada de passageiros que não quer “pobre no avião”, mas também não quer os ricos.

Assim fica difícil.

, , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (5)

  1. Leo

    Cabeça mais uma descodificando a minha mente. Seus posts são quase sempre aquilo que eu penso, mas não consigo falar!!
    Valeu sandeman!

  2. É a chatice de quem ‘ama odiar’.
    Tem gente que tem necessidade de falar mal das coisas. É essa gente que deixa tudo mais chato.
    [http://www.everaldovilela.com/2008/07/26/amamos-odiar-a-necessidade-de-falar-mal/]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *