10 de fevereiro de 2011 Felipe

Kubica

Uma semana depois do acidente de Robert Kubica, pode-se dizer que o polonês teve sorte, muita sorte. As fotos e os vídeos (tanto da reconstituição, quanto o da dupla que vinha logo atrás) mostram que a porrada foi das mais graves. Ter um Guard rail atravessado no seu carro e sair “só” com graves fraturas, é realmente ter sorte.

Desejo mesmo que seu período de recuperação seja inferior ao estipulado pelos médicos, de um ano. Mas o mais importante, óbvio, é que ele volte inteiro e pronto para correr novamente. Qualquer um teria medo de voltar a dirigir, mas cada dia tenho mais certeza que piloto de Fórmula 1 não é um ser humano comum.

, ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *