24 de novembro de 2010 Felipe

Certo e Errado

Antes de começar a ler esse post, uma explicação: Não estou defendendo fazer o “errado”, mas somente conjecturando acerca de uma discussão.

Para você, qual é a maior prova de que o “modo orkut” perdura no Facebook? Pra mim, é a quantidade de usuários que não são pessoas, e sim lojas, instituições ou organizações. A possibilidade da criação de uma Página para o seu negócio, é um dos grandes trunfos do Facebook na minha opinião. No entanto, muitas pessoas ainda preferem representar a “pessoa jurídica” através da maneira errada. Talvez porque acham mais fácil, talvez porque não saibam como criar uma página.

Discutimos uma “terceira via” sobre o assunto no trabalho. Será que as pessoas preferem, por exemplo, ser amigas de uma ONG ao invés de clicar no botão curtir? Será que isso é mais familiar ou deixa a pessoa mais próxima da instituição? NO melhor estilo Maquiavel, os fins justificam os meios? Quer dizer, vale a pena fazer a prática errada somente para aumentar sua rede de contatos?

Pessoalmente, a única resposta para todas as perguntas é “não”. Ainda acredito que o mau uso é decorrente da falta de prática. E sou quase um cadedrático, incentivando as pessoas à criarem Páginas para seu negócio, seja ele qual for. De pouco em pouco a gente chega lá.

, ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (3)

  1. Luís Viégas

    Interessante a abordagem de um tema nos acomete diariamente mas estamos sempre ocupados demais com “pequenices” para escrever sobre.

    Acredito que o Facebook veio a calhar aos brasileiros que de um modo geral gostam de ler manuais, não trazendo tutoriais e instruções de uso, o que faz com que as empresas, geralmente despreparadas para se representar nele, cometam esses erros.

  2. Ricardo "Galfurion" Junqueira

    Eu já sou mais agressivo. Vide minha campanha silenciosa. http://twitpic.com/2xpt6g

    Mas tenho experiências negativas ao tentar ser o paladino. Por vezes entrei em contato com empresas e até mesmo uma agência web daqui de BH que tinha um perfil como pessoa. Ainda tenho até a resposta malcriada salva na caixa de mensagens.

    Concordo contigo, Pelón. Os fins não justificam os meios. Mas também concordo que o formato de cadastro para empresas, marcas, lojas no Facebook poderia ser um pouco mais óbvia e bem explicada.

  3. Toda vez que uma empresa faz um perfil em vez de uma página, uma criança carente morre antes de participar de um programa de inclusão digital.

    Eu também já vi agência web com perfil. Se bobear, é a mesma. Muito boa, inclusive. Não dá pra entender esse deslize. Dá vontade de vomitar.

    Eu sempre dou block/report.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *