20 de janeiro de 2010 Felipe

O caso Jóbson

Fiquei chocado com a declaração de Jóbson. Quando perguntado no julgamento se havia cheirado cocaína (razão pela qual estava sendo julgado), ele surpreendeu e disse que na verdade é usuário de crack, “desde 2008”.

Para mim, além de uma tentativa do advogado de impedir o banimento do futebol, mostrou um pedido de ajuda do Jóbson e além disso, a extrema necessidade de colocar juízo na cabeça dos atletas. É ponto pacífico que os clubes não podem controlar a vida dos jogadores, e quem tem um razoável contato com o meio sabe de casos pontuais de falta de limites dos caras. Certamente o Jóbson não é o único, nem vai ser o último a passar do ponto, mas acredito que foi o primeiro em começo de carreira a admitir que é viciado. E só essa pode ser a explicação para o cara vacilar. Porque um sujeito que depende do corpo pra ganhar seu salário, não pode dar um mole desses. Ainda mais em um ambiente onde o anti-doping ocorre de maneira sistemática. Fazer uso constante e “achar que não vai ser pego” é de uma idiotice tremenda.

Vale registrar também a falta de tato dos clubes em tratar destes assuntos polêmicos. Seja no Brasiliense ou no Botafogo, Jóbson precisava de ajuda e direcionamento antes do acontecido e não depois. A sorte que ele ainda é novo e que dois anos é tempo de sobra para se tratar e voltar ao esporte. Esperamos que limpo e de cabeça boa. 🙂

, ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comment (1)

  1. paula

    O problema que eu acho é que dois anos afastado do meio profissional, pode também ser suficiente para que ele se entregue realmente ao vício… Uma pena. Fiquei chocada quando ouvi a notícia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *