19 de outubro de 2009 Felipe

O dia que fiz uma reunião no motel

A vida tem dessas coisas. Aqui na agência atendo uma rede de moteis. Na quinta agendamos uma reunião para tratarmos de diversos assuntos e o encontro seria no cliente. Sim, no motel. Antes disso, liguei para a Carol e disse: “Amor, se te falarem que me viram entrando no motel com um cara… bem, é verdade. Mas eu posso explicar”. Chegamos, eu e o designer, às 11h da manhã no estabelecimento onde fica o marketing. Ele dirigia, eu era o passageiro e a entrada (do motel) para fornicadores e trabalhadores é a mesma.

“Bom dia, temos uma reunião com o fulano e a fulana”. A moça não entendeu no começo, achou que era algum tipo de senha, mas permitiu nossa entrada. Estacionamos na vaga 15, quarto Standard, e fomos para a reunião. Tratamos de vários assuntos, retorno de campanha, planejamento pra 2010 etc. Por via das dúvidas, posicionei a minha cadeira com as costas para a parede.

A reunião estava tão produtiva que o nosso horário avançou e fomos convidados para almoçar lá. Cardápio de motel. Pedi um filé ao molho madeira e enquanto os pratos ficavam prontos, pude conhecer o backstage, sem trocadilho, de um motel. Fiquei bem feliz de saber que os caras são nossos clientes. Tudo é muito limpo e existe uma preocupação imensa com o cliente. Melhor assim! Almoçamos em uma sala de reuniões que fica próxima à sala do estoque. Ali, todo o tipo de item que compõe o cardápio erótico, com tamanhos, formas e preços distintos. Porém a parte curiosa, por assim dizer, da história: a janela dessa sala fica próxima da janela de um quarto. No momento que o almoço começava, naqueles 30 segundos de silêncio entre sentar e dar a primeira garfada, ouvimos uma mulher gritar a plenos pulmões “Vai! Vai! Vai seu cachorro!”. Constragimento da moça que trabalha lá. “Me desculpe!”, “Sem problemas, são ossos do ofício!” Almoçamos, nos despedimos e fomos embora, às 14h40.

Foi assim que fiquei três horas no motel e eu não peguei ninguém.

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (10)

  1. zega

    vai ver comeu o tal cachorro… vai, cachorro, morre logo que o cliente tá esperando! mas se você fala que o motel é limpinho eu acredito… também atendo um.

  2. hahahahahaha sensacional! Quando eu estava na sua posição (ops) aí na agência, eu já quase tive que passar por isso. Fico imaginando mesmo quão hilário deve ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *