1 de setembro de 2009 Felipe

A “jequice” da Zona Sul

Brasília fecha o Eixão para o trânsito de veículos todo domingo. Também no domingo, o Rio de Janeiro faz a mesma coisa no Aterro do Flamengo e as avenidas Vieira Souto e Niemeyer. Já tive a oportunidade de aproveitar a Niemeyer nessa situação e é bem agradável. Espaço público ampliado, todo mundo caminhando, pedalando e afins.

Com muito atraso, Belo Horizonte resolveu fazer a mesma coisa. Fechou uma pista da Av. Bandeirantes, na Zona Sul, pertinho da lá de casa. (Registre-se, a Bandeirantes não tem 10% do movimento dos locais supracitados). Passei desavisado no domingo e achei o máximo. Muitas famílias na rua e a turma que faz corridas ou caminhadas aproveitando do espaço ampliado.

Mas, parece que nem todo mundo gostou. No blog do Benny Cohen, editor da TV Alterosa, apareceram uma série de comentários do tipo “Não posso sair de casa”, “Minha rua virou desvio e o barulho me atrapalha”. Enfim, jequices. E é esse sentimento jeca que atrapalha a cidade. Quando uma ação que valoriza o cidadão é feita, algumas pessoas insistem em descer o pau. E fazem isso porque não enxergam a rua (e a cidade) como um espaço público. É um pensamento jeca e idiota bem do jeito “a rua é minha e de mais ninguém”. E esse princípio funciona não só para a rua, mas pra vida toda.

Torço muito para que a Prefeitura e a BHTrans não cedam à pressão idiota feita pelos meus vizinhos da cabeça dura. Este bloqueio é bom pra todo mundo. E faz com a que cidade seja um pouco mais amigável. No melhor dos desejos, torço até para que traga um pouco de bom senso e cidadania para aqueles que pensam só no próprio umbigo.

, , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (16)

  1. Eu sou contra qualquer tipo de bloqueio em ruas. Aliás, já que falamos nisso, a feira hippie da Afonso Pena deveria acabar. Esse da Bandeirantes só serve pra infernizar a vida de quem mora ali, e pra acabar com a diversão de quase bater o carro olhando pras gostosas na pista de cooper. Ruas foram feitas para carros passarem. Calçadas e pistas de cooper foram feitas para pessoas passarem.

    E, sinceramente, copiar o que candangos ou cariocas fazem é a síntese de “atraso de vida”.

  2. Humberto Guerra

    Engano seu, Chico. As ruas foram feitas muito antes dos carros – eles se apropriaram delas séculos depois. Mas, como você acha divertido quase bater o carro para ver as gostosas correndo, é plenamente compreensível que você também ache um atraso de vida copiar o que cariocas, candangos, parisienses, londrinos, holandeses, alemães andam fazendo para tentar reverter a barbárie em que as vias se transformaram sob o império da carrocracia.

  3. É mesmo? coitados dos europeus então, porque cada vez mais se fecha os centros e espaços aos carros na europa, antes eram só os centros históricos que eram proibidos aos monstros de metal, agora muito mais restrições são criadas, no centro de Londres, carros só entram pagando uma pesada taxa, essa coisa de que rua é exclusiva de carros é que um pensamento suburbano, sedentário e cretino made in EUA, por mim carros, só ficariam nas periferias das cidades, óbvio que para isso o transporte público tem que funcionar decentemente, mas ai já é outra história, sou capaz de apostar que o nosso Chico ostenta uma boa barriga, veias entupidas e adora passear sozinho no seu carrão.

  4. Tuia

    “Ruas foram feitas para carros passarem”

    PQP… lamentável ouvir isso de alguém… Chico, vai ler um pouco a legislação de trânsito e aproveita e vai no capítulo de PREFERÊNCIAS. Mesmo um pedestre estando atravessando fora da faixa a OBRIGAÇÃO dos carros é parar, não importa onde nem quando. Dentro de um carro tem sempre uma pessoa, não esquece disso.

    Agora… quanto a acabar com a feira hippie… bom nem vou comentar, vamos todos acabar com o emprego de várias pessoas só pro Chico olhar as gostosas da Afonso Pena. O que me vcs dizem moçada?? Bora??? pufff…

    Tuia.

  5. Fernando Norte

    Parabéns Chico, que acha que “Rulez”. Vc só fez compravar o texto do Cabeça mostrando o quão ‘JECA’ é.
    Saiba vc que há vida além do seu umbigo.
    E copiar coisas boas não importa se sejam de Candangos, Cariocas ou até mesmo Estadunidenses (sim eles tem coisas boas também).
    Atraso de vida é essa ‘mineiridade’ enraizada que não gosta de mudar e mexer naquilo que funciona a muuuuito tempo.
    Depois tem gente que acha ruim quando chamamos isso aqui de ‘roça provinciana’.

    A tempo para completar, em Porto Alegre eles fecham uma avenida de mais de 3km as margens do Guaíba, com parques no outro lado, de 2 horas da tarde de sabado até as 7 da manhã de segunda, e fica uma média de 3mil pessoas todo fim de semana. E o centro da cidade (ali perto) é fechado para carros, tem apenas calçadas largas que ainda comporta camelôs registrados no meio delas e muita gente frequenta, e os comerciantes não reclamam que seus consumidores sumiram pq não há vaga para estacionar na porta da loja, muito pelo contrário, pois se retirar os carros todo o centro pode virar um grande “shopping center” a céu aberto.

    A Cidade é para as pessoas NÃO para os carros.

  6. zega

    eu tenho inveja do rio sim. lá, as calçadas estão sendo alargadas para dar mais comodidade ao pedestre. aqui, elas são cada vez mais ignoradas.

  7. Criba

    Chico, atraso de vida foi eu ter perdido meu tempo lendo o seu comentário.

    Foi sem dúvida o comentário mais individualista e de playboy que eu já li em toda minha vida.

  8. Paula

    Felipe, você me conhece e sabe que uma das coisas que mais me irritam é a pobreza de espírito. E, assim como você, acho que quem é contra esse tipo de ação dos governos, é realmente muito jeca. Mas muuuuito jeca mesmo. Achar que uma rua, impedida para o tráfego de carros, num domingo é prejudicial ao conforto dele ou atraso de vida, é coisa de gente pobre de espírito mesmo. É digno de pena um sujeito que pensa assim.

    Aliás, eu não tenho dúvidas de que, quem pensa assim, inevitavelmente: não respeita pedestre, não sabe dividir as ruas com os outros motoristas (mesmo que o cara esteja fazendo alguma bobagem), não respeita a faixa de pedestre e a de retenção, enfim, é um sujeito extremamente egoísta e idiota.

  9. Nota mental: maneirar nas zoações no blog do Cabeça. Ele é pop.

    Gostei bastante da discussão feita aqui. Me impressionou bastante a natureza maniqueísta de várias pessoas. Ou você é um ciclista vegetariano que planta árvores toda semana ou você é um carnívoro voraz dono de um Hummer V8 e uma madeireira. Para alguns, a sensatez não pode estar dissociada do ódio por carros. No entanto, o que realmente não pode ser dissociado dela é o desapego a qualquer tipo de radicalismo.

    Não culpo quem apontou sua metralhadora de comentários colerosos a mim. Quem me conhece e tem um mínimo de intelecto (isso obviamente exclui Tuia e Criba, dois seres notadamente limitados), sabe que eu apenas exagerei de maneira jocosa a minha opinião. Que continua soberana, aliás. Ruas podem não ter sido feitas para carros, mas nos dias de hoje devem ser destinadas a eles.

    Me chamar de egoísta é, talvez, o maior exagero aqui. Egoísmo é impedir ou dificultar as pessoas que moram na área do bloqueio de sair de casa com seus tão demonizados carros e de terem sossego no seu merecido dia de descanso. Por que a feira hippie não pode ser num lugar como o Expominas? Com espaços próximos como a Praça do Papa e a Praça JK, o bloqueio na Bandeirantes se faz desnecessário. Aliás, apesar da brincadeira no meu comentário, eu também sou contra a pista de cooper. Quem chega perto dali no horário de rush sente falta de mais uma faixa. Ninguém sente falta de uma faixa na pista de cooper ali no Hilton Rocha. E, por ser mais alto, o ar é ligeiramente mais rarefeito e com isso quem pratica ali terá uma contagem de hemácias no sangue ligeiramente mais alta e – consequentemente – melhor desempenho. Espernear para continuar com o cooper na Bandeirantes é que é egoísmo, além de ser pirraça.

    Comentários sobre preferência e respeito a leis de trânsito sequer mereceriam réplica, mas gostarei de desapontá-los ao afirmar que não apenas paro sempre para os pedestres, como ainda faço gestos obcenos pelo teto solar quando buzinam para que eu ande (normalmente são donos de Fiat). Quem atravessa a rua adora. Modéstia à parte, eu sou um dos motoristas mais civilizados e respeitosos com regras que eu conheço. E continuo achando que as ruas são para os carros. Você estão péssimos em analisar as pessoas.

  10. Fernando Norte

    Chico Rulez,

    Acho que “maneirar nas zoações” seja no Blog do Cabeça ou de qualquer um é uma boa opção. ELE te conhece e alguns amigos dele também, eu conheço ele mas não conheço você, por isso não posso pressupor que o que disse seja “jocoso”. Seja o Cabeça POP ou não, isso é um espaço público e o que você coloca aqui vai ser interpretado pelas suas palavras não pelo conhecimento prévio da sua pessoa. E tudo que for rebatido é baseado no que você escreveu, e não no seu Sex-appeal.

    Acho que o problema aqui é questão de ponto de vista. As ruas agora “são feitas” para carros por que eles dominaram pela quantidade expressiva que tem. Agora por causa disso todo o resto da cidade, que é MAIORIA, tem que engolir isso? Discordo veementemente. Esse tipo de pensamento é sim EGOÍSTA, por que prioriza um automóvel particular (35% dos transportes) em detrimento do outro. Não é egoísta achar que as pessoas que moram na região tenham o direito de sair com seu carro, mesmo que seja estupidamente para ir a padaria que poderia ir a pé. É fácil acusar o lado mais fraco. Mas será que o causou isso foi apenas o bloqueio da rua, ou o excesso de carros passeando num domingo que chegou ali sem saber do que se tratava?

    É um transtorno, entendo (apesar de não ficar nem com um pingo de dó dos moradores), mas há de se entender que isso é choro e mimimi de quem queria dormir até mais tarde no domingo e foi incomodado por que centenas de pessoas preferiram aproveitar melhor o dia e outra centena que não sabia teve que desviar para porta da casa dele. Ou seja, reclamação de um incomodado em detrimento do lazer (e ignorancia) de centenas.
    Entenda que se TODOS os domingos mantiver esse esquema, em pouco tempo isso irá diminuir, pq as pessoas vão saber que ali está fechado e procurar outros caminhos, que não apenas a porta da casa dos moradores. E quem sabe os moradores “presos” em suas residências, descubram que ir a padaria a pé, pode ser mais agradável do que enfrentar o caótico trânsito que brotou na porta da sua casa no domingo de manhã.

    Transformar ruas em locais públicos para que pessoas e não carros a usem, chama-se “HUMANIZAÇÃO”. Uma cidade é composta de PESSOAS, e a infra-estrtura deve priorizar a ELAS e não a bens particulares de uma minoria.
    Ao invés de usar ruas que tem pouco movimento para beneficiar pessoas que moram próximas colocar estes em locais isolados, para mim é segregação das brabas.

    Dízer que o ar de quem faz cooper perto de uma avenida não é dos melhores, eu concordo, visto que o ar melhor também fica FORA DA CIDADE. Que talvez seja a sua sugestão para quem desejar fazer cooper, ou andar de bicicleta, fora das “SUAS” ruas. Mas saiba você que o ar da cidade é pior para quem está dentro do carro, que retêm por mais tempo a poluição dentro do seu veículo sendo 30% mais danoso para quem vai de carro do que correndo.

    As suas preocupações demonstram que vc é mais uma pessoa que está apenas interessada em mais espaço para os carros, como vc mesmo mostrou ser contra a pista de cooper para ter mais faixas na hora do rush. Ampliar vias é coisa que os governantes fazem desde milnovenctos-e-guaraná-com-rolha, e já está saturado, daqui a pouco vão retirar o que para criar mais vias? Casas, comércios.. ops já estão fazendo isso na Antonio Carlos. A cidade inteira deve apenas ter vias então, para que o trânsito flua isso sim é que importante? Vamos todos então morar fora da cidade para aqui apenas transitar.

    As cidades (todas) precisam de mais espaço é para as pessoas circularem, se encontrarem, estarem mais próximas umas das outras, melhoria no transporte público, e MENOS carros particulares.

    O carro não é demônio de nada, o ABUSO que fazem dele reduzindo o espaço público destinado as pessoas em detrimento de um bem particular é que demoniza tudo.

    Parabéns pela sua educação com os pedestres no trânsito. Mas isso não exime os seus comentários, e ainda fica parecendo que o que fez é esmola com os pobres coitados dos pedestres, quando não era para ser menos do que sua obrigação.

    Eu posso ser péssimo para analisar pessoas, mas eu não acredito que alguém seja capaz de analisar uma pessoa por meia dúzia de parágrafos. O que foi analisado aqui foi o seu comentário e não a sua pessoa. E se não consegue distinguir nem isso, além dos seus comentários equivocados, aí eu fico em dúvida a respeito do tão exaltado intelecto de que se vangloria.

  11. Paula

    Nossa, Chico, mil desculpas…! Mas eu não sei se além de corredora e usar diversas pistas de cooper que existem em BH (e em outros estados e cidades do Brasil, além da Europa e dos Estados Unidos) estou ficando louca… Mas a sua ambiguidade e contradição me intrigam…

    Senão, vejamos: você é um cara que para o carro para um pedestre atravessar e ao mesmo tempo acha que, atualmente, as ruas devem ser destinadas soberanamente para os veículos automotores… Frequentemente leio ou ouço notícias, que dizem sobre o quão prejudicial é a queima de combustíveis para o planeta, que todas as nações civilizadas pensam em alternativas excelentes para o transporte público atender o maior número de pessoas possível e assim evitar o uso de carros e você fala para os simpatizantes de atividades em locais públicos usarem lugares mais altos por causa do benefício que isso traz para essas pessoas. Ah, e você ainda por cima faz gestos obscenos pelo teto solar para pessoas que buzinam e geralmente para proprietários de Fiat e é aí que reside outra dúvida minha: isso é preconceito por quem escolhe a marca? Essa pessoa é do bem ou do mal (Felipe, você tem que se cuidar, meu caro, ou então troca o Palio pela marca que o Chico aconselhar)?

    E eu acho que sou maniqueísta sim, assim como você, tendo em vista o fato de que, se não prevalece a sua opinião, todas as outras são burras…! E assim, se eu entendi o seu longo comentário, com palavras difíceis e bonitas, você está do lado bom e eu, que concordei (como outros que por aqui passaram depois de você) com o Felipe e sequer me referi a você, estou do lado do mal…

    Tsc, tsc, tsc. Será que eu tenho salvação…?

  12. Paula

    Ah, Chico, eu tô indo correr pelas ruas de BH. Disputar o meu corpo demonizado e as minhas passadas iradas com os felizes proprietários de veículos do bem…

  13. Bagas

    Concordo com o fechamento da Bandeirantes e já imagino o lugar legal que deve ter ficado, assim como acredito que o desconforto dos moradores não deve ter sido tanto.. Esse é um caso no qual o interesse público deve permanecer sobre alguns interesses particulares.

    .. mas em uma coisa concordo com o Chico: as reações às reclamações dos moradores não foram tão mais nobres do que estas (verifiquei isso aqui e mais ainda nos comentários no site do blog do benny cohen, no qual já havia dado uma olhada).

    Penso que em qualquer ação que beneficie a população em geral mas os prejuízos sejam arcados por apenas uma parcela da população, a vizinhança do local deve ser, no mínimo, ouvida com respeito, e não tachada com tantos adjetivos só porque relatou o lado dela.

    É o que eu observo em relação à construção de penitenciárias, aterros sanitários, viadutos, etc.

    (Cabecinha, to com uns trem que meu pai mandou entregar pro seu. Abraços).

  14. Criba

    Chico, espero sinceramente jamais te ver aos domingos na Bandeirantes, senão terei certeza da sua completa idiotice.

  15. Martuse

    CHICO falou:
    “Comentários sobre preferência e respeito a leis de trânsito sequer mereceriam réplica, mas gostarei de desapontá-los ao afirmar que não apenas paro sempre para os pedestres, como ainda faço gestos obcenos pelo teto solar quando buzinam para que eu ande (normalmente são donos de Fiat).”

    Galera, nao precisam perder mais tempo: esse Chico tem carro com teto solar. Ja e caso perdido…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *