13 de julho de 2009 Felipe

Porque sou contra o radicalismo

Faz um tempinho que adotei a bicicleta como meio de transporte, isso não é nenhuma novidade. Durante uns três meses me desloquei diariamente para a labuta em cima da bike. Mesmo com a mudança de emprego – para o bairro mais alto da cidade – tento ir pelo menos uma vez por semana pedalando, geralmente às sextas, principalmente para fugir do trânsito maluco na volta.

Em todo este tempo, só xinguei os motoristas e motoboys que criaram situações de risco. Não acho que todo motorista é um “monstro sobre rodas”, não os culpo por irem de carro para o trabalho todos os dias. A vida é feita de escolhas e cada um faz a sua.

Infelizmente, a ala radical e xiita está presente até sobre duas rodas. A prova disso é esta matéria. O motorista em questão é marido de uma amiga da minha mãe. Os dois trabalham em Brasília a pouco tempo, estavam indo para o aeroporto e de fato, erraram o caminho, caindo no Eixão. O que a matéria não fala é que os ciclistas que cercaram eles começaram a gritar coisas do tipo “vocês são culpados por atropelamentos de ciclistas”, “monstros motorizados” etc. Dicotomia é uma das formas de argumentação mais idiotas que existe. E acontece de todas as formas. “Viva Linux, morte ao Windows”, “Vamos matar todos os torcedores do time tal, que são safados, sem vergonhas e ladrões” e por ai vai.

No caso específico desse post, o cara errou (e foi multado) porque o fechamento do Eixão aos domingos é praticamente uma instituição da cidade. Mas tenho certeza que o comportamento dos ciclistas envolvidos na confusão não é o que vai convencer alguém a trocar carros por bicicletas em qualquer parte do mundo.

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (3)

  1. Paula

    Você me conhece e sabe que eu tenho pânico e uma preguiça profunda de xiitas. De esquerda, de direita, de duas rodas ou motorizados. Tenho verdadeiro pavor!

    beijocas

  2. cristiano

    Cab’s concordo com você…. todo radicalismo me cansa, mas penso que o transporte alternativo(como as bicicletas) deveria ser mais incentivado. Eu mesmo moro a 5km do meu trabalho e em uma cidade muito mais plana e fácil de pedalar que BH, mas a falta de respeito que vejo todos os dias com ciclistas me desanima a comprar uma bike. Espero que vc e o Icaro continuem com essa campanha pró bike, aqui em SP o movimento já é forte. Abs…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *