22 de maio de 2009 Felipe

O famoso golpe do sequestro

Na quarta de manhã, o telefone tocou uma, duas, três vezes, todas vindas de um número desconhecido. Atendi a terceira, poderia ser urgente, vai entender. Na ligação a cobrar uma pessoa falava que minha irmã (citando o nome quase completo dela) teve o carro roubado, com todos os documentos e ela queria falar comigo. Ok, poderia acontecer. O que estava errado era ouvir a minha irmã gritando com a voz do Don LaFontaine: “Por favor, me ajuda, me tira daqui, eles vão me bater!”

No momento saquei que era um golpe. “Sua irmã está aqui com a gente, nós vamos matar ela!”, “Sai de carro e tira dinheiro”, “Sei que você é jornalista então não sai ligando pra polícia”. Estava levando tudo numa boa, mas tinha um problema. O cara sabia TODAS as informações da minha família, porque ele estava fazendo terrorismo com a senhora que trabalha lá em casa. Eu fui enrolando o sujeito até conseguir falar com minha tia, que foi até minha casa e desligou o telefone. Nessa hora, o “sequestrador” disse: “Vou matar sua irmã!” “Então mata!”

Quando cheguei em casa para almoçar morri de dó. A Do chorava, falando que jamais imaginou cair nesse golpe. Disse que os filhos da puta ligaram falando que eram da polícia, que tinha acontecido um acidente com minha irmã e ela se desesperou e começou a falar. Um comentário me deixou assustado: Segundo ela, ligaram falando o nome inteiro da minha irmã. Será uma sofisticação do golpe?

De qualquer maneira, deu uma raiva tremenda da situação. O cara conseguiu foder meu dia e quase matar do coração uma senhora de 70 anos. Não nego que dá um medinho, mesmo sabendo que era mentira. O diálogo desses sacanas é cheio de buracos e falhas e por isso fiquei mais calmo. Amigos me recomendaram fazer um BO e mudar o número do meu telefone, mas não sei se as duas ações vão adiantar alguma coisa.

O esquema é ir levando e aprender com a situação, além de conviver com a péssima sensação de impotência e medo. Ê merdinha!

, , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (3)

  1. Por essa razão, eu nunca passo absolutamente NADA pra alguém que me liga no telefone. E todo mundo lá de casa já tá treinado pra fazer o mesmo. Nem mesmo com supostos enganos eu dou bobeira. Tipo:

    -Rafael?
    -Não é Rafael.
    -De quem é este telefone?
    -Meu.
    -E qual o seu nome?
    -Não vou falar. Você discou errado.

    Quando me ligam, mesmo de empresas com as quais eu mantenho relacionamento, peço para desligar e ligar de volta para eles. A tática de tentar surrupiar informações dessa maneira se chama engenharia social. Outro dia mesmo, me ligaram supostamente do Bradesco querendo me oferecer o Amex Gold sem anuidade. Agradeci, disse que não ia dar dado nenhum e desliguei. Com certeza era alguém querendo conseguir meus dados, já que banco nenhum oferece o Amex, e digamos que eu (infelizmente) não tenho o perfil de um prospect do Amex Gold.

  2. devem ter achado alguma coisa dela, por acaso mesmo, ou tido acesso a algo do tipo banco de dados de empresa de RH. Qualquer cracker entra nesses sites…

  3. Brasileiro

    Acabo de cair nste velho conto e concordo com o post acima…..difícil é barganhar em um momento como este, sendo que trata-se de uma pessoa da família. Quem consegue?
    Vejo que este país é de malandros, como todos os tipos de artimanhas para conseguir aplicar o mau.
    Pagamos altos impostos e parte dele é direcionado para está escória de ser humano que fica o dia aplicando golpes de dentro da prisão.
    Este país não deve permitir esta lei frágil que temos e aplicar a pena de morte para bandidos sem recuperação.
    Devemos entender que estas pessoas não podem viver próximos das cidades, como vejo grandes presídeos dentro das cidades e em seu raio de ação.
    O governo deveria criar um presídeo gigantesco nas ilhas de São Padro e São Paulo no meio do Atlântico e colocar todos lá…..plantando para comer,vivendo a cultura de subsistencia.
    Deixo aqui a indignação de um trabalhador que paga seus impostos,coopera para a economia do país e mesmo asism continua com sua conta corrente ZERO e sem atitude nenhuma dos governos,bancos que permitem este tipo de transação instantânea e claro, as grandes coorporações de telefonia móvel que sequer dão atenção para rastrear estas ligações.
    Abraços e boa sorte para os brasileiros de bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *