7 de maio de 2008 Felipe

Das cabeças fechadas!

Sempre comentei que acho preocupante quando alguém fala “que fez jornalismo porque sempre escrevi bem” ou “sou publicitário porque sou criativo” ou ainda “escolhi relações públicas porque sou comunicativo”. Isso significa ter a cabeça fechada para todo o contexto da comunicação, em qualquer aspecto.

Na faculdade eu vi gente falando em alto e bom som, por exemplo, que “jamais trabalharia em empresas ou sindicatos, porque isso é contra a liberdade jornalística”. Mais uma vez, cabeça fechada, por não enxergar os desafios que o “outro lado do balcão” oferece. De uma maneira geral, via muito a falta de interesse nas questões relacionadas às outras áreas da comunicação. Ou seja, jornalista só deve saber de jornalismo, publicitário de Marketing e publicidade e RP de Relações Públicas.

Passando para o ambiente da pós-graduação, pude perceber que a falta de interesse em questões de marketing ou publicidade ainda existe. Parece que algumas pessoas acham que “Gestão Estratégica da Comunicação” é pra jornalistas e “Gestão Estratégica do Marketing” é para publicitários. Só isso para justificar a afirmativa infundada e equivocada que escutamos durante a aula de Mercado, Consumo e Publicidade: “Não sei diferenciar marketing institucional de marketing mercadológico porque sou jornalista”.

Bom, pelo menos o curso fala destes aspectos da comunicação. E abrir a cabeça pode ser algo mais fácil do que se imagina.

, ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (2)

  1. Bruno

    Nada com você para falar de cabeça 🙂 (no bom sentido, claro).
    Mas aqui, você não escreve bem não…. escreveu “Mecado”, assim não dá!, rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *