19 de janeiro de 2007 Felipe

E se fosse um livro?

IMDBGostei de “Muito além da ficção“. A começar pela história: Will Ferrell é Harold Crick, um auditor da Receita Federal, sozinho e metódico. Conta os passos pra chegar até o ponto de ônibus, quantas vezes ele escova cada dente, qual nó de gravata é o mais rápido e por aí vai. Crick então percebe a presença de uma narradora em sua vida, uma voz que vai descrevendo minuciosamente cada ação e sentimento. A narradora é Kay Eifell (Emma Thompson), escritora de romances que não consegue terminar o livro onde Ferrell é o personagem. Nesse meio tempo, ao auditar uma padaria, o solitário fiscal se vê interessado por Anna (interpretada por Maggie Gyllenhaal, potencial candidata a ser minha esposa), a dona do estabelecimento, que é o exato oposto de Crick: cabeça aberta, nada sistemática e etc. Não vou contar mais, mas a busca de Harold Crick pela solução do problema, seu relacionamento com “a voz” e principalmente, a mudança na sua maneira de viver a vida são muito bacanas.

Maggie está maravilhosa e tem uma tatuagem linda de morrer no braço. Ela tem um sorriso e uma presença que deixa qualquer cara de boca aberta. Will Ferrell conseguiu provar que não é só um ótimo comediante. Dustin Hoffman, Emma Thompson (e seu sotaque inglês maravilhoso) e Queen Latifah (que me surpreende positivamente sempre) também estão muito bons.

Vale até um pensamento bobo: E se você fosse realmente um personagem de livro? Como seria seu relacionamento com quem escreve? 🙂

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (4)

  1. André

    Nossa… Eu vi este filme. ADOREI!

    Porem, se vc o viu tambem deve ter percebido que o microfone aparece o tempo inteiro no filme (grande falha tecnica que em alguns momentos; tira o tesão do filme!)

    Mas é uma boa pergunta… Se fossemos realmente personagem principal de um romance? Descrevendo ações e sentimentos aleatórios no cotidiano ou mantendo uma relação com um ser superior (no caso o escritor). Muito interessante!

  2. Leticia

    critica maneira…gosto da sua positividade, ao contrario da demencia da Isabela Boscov da revista Veja…

    vi o making off do filme e achei demais…as vezes acho q gosto mais do making of, mas vou ver o filme qd gabriel chegar!

    bjos

  3. Cara, não gosto muito do Will Ferrell, mas vi o making off e me interessei pelo filme.

    Só daria certo se o escritor tivesse autonomia sobre minhas decisões…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *