31 de outubro de 2005 Felipe

Escrevendo

Gostaria que vc entrasse no meu blog para ler meus textos e ver se eu posso fazer jornalismo porque eu faço ciência da computação.

Esse comentário apareceu outro dia num post antigo. Não me considero capaz de opinar assim em textos alheios e, nesse caso, dizer pra figura qual caminho seguir. Mas eu quero dizer outra coisa. Nunca concordei com a premissa de “sei escrever, por isso faço jornalismo” ou “não sei escrever porque faço Ciência da Computação”. Sou da opinião que o fato de escrever bem independe do curso ou carreira que a pessoa escolheu. Tudo bem, pelo menos em meu local de trabalho (e não sei se existe alguma relação ou coincidência), a área de TI não prima pelo bom uso do português. Obviamente, há excessões em ambos os lados, porém, de maneira geral, as pessoas das ciências humanas escrevem melhor. Não digo que todo mundo precisa ser um Machado de Assis, mas se você sabe colocar suas idéias com clareza no papel, utilizando a gramática de maneira correta, pronto, já é meio caminho andado.

Agora, o que significa “Leia meus textos e diga se posso fazer jornalismo”? O sujeito escreve até bem, tem algum errinho crasso escondido, mas o texto é bom. Eu sugeri que abrisse sua mente em relação ao jornalismo. Saber (e gostar de) escrever é condição principal para ir ao curso, mas é muito mais do que isso. Teorias da comunicação, semiótica, rádio, fotografia. A gente escreve sobre muita coisa chata, que não te dá prazer nenhum, e de quebra aprendemos também a produzir textos “no automático”. Ou seja, nada romântico, nada prazeroso. E aí entra a questão de afinidade. Eu me divertia fazendo a parte chata. Pode ser isso que o sujeito ainda não tenha descoberto…

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (5)

  1. Ganso

    acho que quem faz ciência da computação deveria
    escrever bem sempre. Não há uma necessidade direta
    no meio de tantas fórmulas, mas para aprimorar o conhecimento
    e as técnicas os sujeitos precisam decifrar textos carregados
    e bastante técnicos. E ainda dominar uma língua estrangeira
    fundamental para operar e desenvolver mais as habilidades.
    Profissional todo mundo vira.
    Excelente profissional só vira quem enxerga nos
    atributos as condições e perspectivas para o seu crescimento.

  2. Gabriel

    Bom é ler oq Bukowsky diz para e a respeito de escritores.. é bem coeso, sintético e honesto.. e corretíssimo sobretudo!

  3. Essa história é até preconceituosa, principalmente porque conheço muito jornalista que não escreve nada – o que dá muito pano para manga e reclamações sobre nossos colegas. Conheço muita gente das exatas que é esforçada também. Tenho um amigo de TI que escreve poesia – sobre computadores – mas já um grande começo.

    Enquanto nosso blog não sai, resolvi fazer algumas reflexões nesse. Tá simples, mas te acrescentei em minha lista.

    Abraço

  4. Pingback: Cabeça »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *