15 de maio de 2005 Felipe

Marketing fajuto

O Cruzeiro lançou nova camisa e divulgou aos quatro ventos que atuará com numeração fixa, como forma de marketing. Bacana, mas na prática ainda não se confirmou e duvido que vá. Fui à loja oficial comprar a nova vestimenta, de preferência com o número diferente dos tradicionais 7, 8, 9 e 10. Pra começar, só a camisa azul está disponível. Além disso, o vendedor disse que não sabe se as “camisas com nome e número vão chegar e é provável que cheguem somente entre os número 7 e 11”. Pergunto então, pra que tanta divulgação de uma ação que talvez nem se confirme? Pra que fazer vontade no sujeito pra comprar a camisa do Kerlon, do Argel, se o máximo que ele pode é comprar a camisa 8 e tacar o próprio nome na camisa? Francamente, se for pra fazer, que faça direito. Sem querer ir buscar exemplos na Europa, na loja oficial do Boca Juniors, você compra o uniforme “limpo” e coloca, na própria loja, o número e nome de sua escolha. Aposto que sai mais barato pra Topper e pro Cruzeiro.

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *