26 de março de 2004 Felipe

Taxista

Descobri que um dos meus hobbys é concordar com o papo de taxistas, dando mais assunto a eles. Hoje por exemplo, o taxista desceu a lenha na prefeitura, na educação pública (quase uma ofensa pessoal) e deu uma aula de microeconomia que nem minha querida professora faria igual. Na verdade, 70% das coisas que ele falou não passam de “sabedoria popular” e reclamações bobas, mas pelo menos serviu para deixar a viagem mais divertida. 😉

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comments (2)

  1. Papo com taxista é o q há. Vc nunca sabe oq vai encontrar, se um evangélico, um amante do futebol, um drogado, enfim.. e sempre rola uns papos dos mais loucos.
    A experiência mais surreal foi quando eu quase perdi meu ônibuis pra Arantina no Natal. Quando Vitória sofreu uma das mais arrasadoras tempestades, meu bairro virou uma represa e meu amigo q estava me levando pra rodoviária teve seu carro invadido pela água podre da rua. E não me restou outra alternativa q não sair a pé a procura de outras possibilidades, após muito caminhar achei um taxi, cujo motorista estava travadão e muito louco. Foi um dos percursos mais pirantes q eu já percorri.. muito comédia.
    Sem me alongar muito em detálhes, só pra vc ter uma idéia, num trecho onde estava tudo engarrafado, carros sendo levados pelas águas, ônibus alucinados jogando água pra cima, o céu negro jorrando água sem dó nem piedade, o taxista chega e ma fala olhando pro céu, isos já eram umas 21:45, “Rapais, não dá pra entender.. um céu azul desses e todo mundo parado por causa da chuva… Que loucura rapais!!”
    Loucura mesmo, pensei..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *