16 de julho de 2010 Felipe

O caso Bruno

Sem querer entrar nos méritos da motivação do possível crime, e sem querer saber se Bruno matou ou não, se ele e Macarrão são amantes, se o menor é mentiroso e/ou viciado. Só gostaria de compartilhar uns pensamentos soltos sobre esse circo:

O Bruno é maluco. Já falei disso aqui e faço uma correção. Depois dessa confusão chamada Eliza Samúdio, sair no braço com mulher deixou de ser a cereja do bolo.

E o goleiro virou um Judas. E isso prova como a gente sempre precisa de um. Todos querem ver Bruno e sua trupe julgados e condenados, preferencialmente com uma sentença que contenha as palavras “morte” e “praça pública”. Não entendem a velocidade da justiça e os tramites para que isso aconteça. O julgamento, não a morte em praça pública.

E é curioso ver como as coisas tomam proporções épicas, se transformando em um show de horrores. De um lado, Edson Moreira, um delegado fanfarrão que carece de um treinamento de mídia. Do outro, Ércio Quaresma, advogado dos mais controversos e malucos de Belo Horizonte. Para essas duas figuras, cada segundo de TV vira um momento de egolatria.

Realmente lastimável.

, , , ,

Felipe

Jornalista mineiro que mora em São Paulo. Interessado em fotografia, comunicação, esportes, música, mobilidade e bicicletas.

Comment (1)

  1. paula

    Sabia que o Ércio Quaresma foi meu contemporâneo de faculdade? E posso afirmar que desde aquela época ele era assim. E o Frederico Franco foi meu coleguinha de turma… Ai, ai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *